"A verdade será sempre um escândalo". (In Adriano, M. Yourcenar)

"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o soberno estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade."
Alexis de Tocqueville (1805-1859)



sábado, 6 de agosto de 2016

MPF: MARQUETEIRO FOI BENEFICIADO PELA 'ESTRUTURA CRIMINOSA ASSOCIADA A LULA

ESQUEMA DESVIOU PELO MENOS R$ 6 BILHÕES DA PETROBRAS

ESQUEMA MONTADO POR EMPREITEIROS, POLÍTICOS E AGENTES PÚBLICOS DESVIOU PELO MENOS R$ 6 BILHÕES DA PETROBRÁS DURANTE OS MAIS DE 10 ANOS DE FUNCIONAMENTO (FOTO: DIVULGAÇÃO/LO POLITI)


O marqueteiro do PT João Santana foi um dos beneficiários diretos da “estrutura criminosa” que contou com a participação ativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É o que afirmam quatro procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato. O esquema montado por empreiteiros, políticos e agentes públicos desviou pelo menos R$ 6 bilhões da Petrobrás durante os mais de 10 anos de funcionamento.

“Nesse arranjo, os partidos e as pessoas que estavam no Governo Federal, dentre elas Lula, ocuparam posição central em relação a entidades e indivíduos que diretamente se beneficiaram do esquema”, registra manifestação de 70 páginas do Ministério Público Federal, que defende a competência do juiz federal Sérgio Moro para julgar o ex-presidente.

“João Santana, publicitário responsável pela campanha presidencial de Lula em 2006, recebeu dinheiro oriundo do esquema”, informam os procuradores da República Julio Noronha, Jerusa Viecili, Roberson Pozzobon e Athayde Costa, em manifestação do dia 3.

Marqueteiro das campanhas da presidente afastada Dilma Rousseff, em 2014 e 2010, e de Lula, em 2006, Santana e sua mulher e sócia, Mônica Moura, são réus em dois processos, que estão em fase final, na Justiça Federal, em Curitiba. Presos desde fevereiro, eles foram soltos por Moro, nesta segunda-feira, após passarem a colaborar. O casal negocia delação premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR).

Diante de Moro, ao serem ouvidos como réus nas ações penais, o casal de marqueteiros do PT confessou ter recebido recursos de caixa 2 do PT, referente a dívida de US$ 5 milhões da campanha presidencial de 2010. Os dois negaram saber que o dinheiro era de corrupção.

Companheiros. Na mais contundente manifestação contra o ex-presidente Lula, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba afirma que a “estrutura criminosa” tem mais de uma década de funcionamento e listou outros beneficiários do esquema próximo do ex-presidente. O ex-ministro José Dirceu, “pessoa de sua confiança” – preso há um ano e condenado a 21 anos –, o ex-deputado André Vargas (PR), “durante o mandato de Lula, foi um dos beneficiados com o esquema, e os ex-tesoureiros João Vaccari Neto (do PT) e José de Filippi Junior (da campanha de 2006)

Para os procuradores, “considerando que todas essas figuras, diretamente envolvidas no estratagema criminoso, orbitavam em volta de Lula e do Partido dos Trabalhadores, não é crível que ele desconhecesse a existência dos ilícitos”. (AE)



06 de agosto de 2016
diário do poder

CHEFE DE GABINETE DE FELICIANO É PRESO EM SÃO PAULO

ELE TERIA MANTIDO EM CÁRCERE PRIVADO GAROTA QUE ACUSAVA FELICIANO

O DEPUTADO FELICIANO FOI ACUSADO PELA GAROTA, QUE DEPOIS RECUSOU EM VÍDEO QUE TERIA SIDO FORÇADA A GRAVAR.


O chefe de gabinete do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), Talma Bauer, foi preso no tarde desta sexta-feira (5) pela Polícia Civil de São Paulo. Acusação é de ter mantido uma jornalista, Patrícia Lélis, em cárcere privado, e de tê-la obrigado a gravar vídeos desmentindo uma denúncia de assédio sexual e agressão do parlamentar.

Uma gravação entre a jornalista Patrícia Lélis e um assessor do parlamentar, supostamente seu chefe de gabinete Talma Bauer, podem tornar evidente o abuso sexual cometido pelo deputado.

Durante uma conversa de quase uma hora, a jornalista fala sobre o episódio com o parlamentar, com um homem que se identifica como Chefe de Gabinete do deputado e afirma estar no local para resolver, “um mal-entendido”. O homem diz ser conselheiro do parlamentar e que Feliciano “é um jovem impetuoso”. E garante que vai resolver a situação: “posso pedir para você, nesse quesito, você põe uma pedra em cima disso. Agora, eu vou te assessorar e no partido vai ficar tudo bem”.

Após relatar as ações de Feliciano, a garota declara: “se vale um conselho, manda o Feliciano aquietar o pintinho dele”.

Quase no final da conversa, o indício de abuso, quando o Chefe de Gabinete pergunta quase num sussurro, “você teve relação com o Feliciano?”. Ela responde prontamente: “sim, mas não foi consensual”, configurando, portanto, um suposto estupro.



06 de agosto de 2016
Francine Marquez
diário do poder

PARTIDOS POLÍTICOS: UM GRANDE NEGÓCIO!

PARTIDOS TOMAM MEIO BILHÃO DO FUNDO PARTIDÁRIO
É QUANTO O FUNDO PARTIDÁRIO DEU PARA OS POLÍTICOS, ESTE ANO

É QUANTO OS PARTIDOS JÁ EMBOLSARAM PELO FUNDO PARTIDÁRIO ESTE ANO.


No momento em que o País exige do governo um limite para os gastos públicos, 35 partidos continuam fazendo farra com recursos do Tesouro Nacional, graças a leis que eles próprios criaram. Entre janeiro e julho, tomaram do contribuinte, com o Fundo Partidário, quase meio bilhão de reais ou R$ 450,43 milhões. O PT foi o que mais faturou até agora: R$ 57,21 milhões. O PSDB, R$ 47,15 milhões e o PMDB, R$ 45,96 milhões. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Proposta do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) prevê a redução da tunga para os partidos, mas enfrenta, claro, forte resistência.

Partidos pequenos fazem a festa enquanto não há redução de partidos. Nanicos recém-nascidos, PMB e Novo já faturaram R$ 614,90 mil.

A expectativa é que este ano partidos políticos com representação na Câmara levem R$ 819 milhões. Em 2017, a tunga vai a R$1 bilhão.



06 de agosto de 2016
diário do poder

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O ROLÉ

Fracasso na copa, agravamento de crise econômica e tsunami de corrupção ameaçam reeleição petralha


 
A cúpula da campanha reeleitoral de Dilma Rousseff identifica algumas graves fragilidades que podem atrapalhar ou comprometer a vitória nas urnas eletrônicas: a tensão pré e pós Copa do Mundo, o estouro de um tsunami de denúncias de corrupção e os sinais de agravamento da crise econômica. Tudo pode fazer brotar, novamente, o clima de “revolta nas ruas”, com efeitos eleitorais negativos para o grande esquema PT.
No curtíssimo prazo, a petralhada teme que seja politicamente fatal o repique do Mensalão. A previsão é de que vazem novas denúncias sobre velhos casos impunes de corrupção. O mais apavorante seria o Rosegate – arrasando com Luiz Inácio Lula da Silva (que deve tentar o Senado por São Paulo). A evidente união estável do PT com a decadente família Sarney, na aliança sempre pouco confiável com o PMDB, aumenta a tensão da petralhada.
Na propaganda petralha, a vitória de Dilma está assegurada. Mas, na avaliação real dos estrategistas do PT, o risco de perder é alto. Dilma não conta com o apoio seguro da Oligarquia Financeira Transnacional – que controla os negócios com o Brasil. A fuga dos investidores é apenas um sinal da insatisfação. O investimento deles em espionagem, fabricação de dossiês que vazam na hora certa e na mobilização para manifestações públicas (como ocorreram em 2013) são evidências concretas da oposição do poder real globalitário ao PT que foi posto por eles no poder e agora tende a ser descartado facilmente.
Marketeiros da Dilma sabem que a única chance é seguir com a tática de divulgar pesquisas claramente manipuladas para sinalizar uma vitória quase impossível. A esperança deles consiste em que, na base da fraude eleitoral, com um sistema de votação totalmente eletrônico que não permite recontagem impressa de votos, tudo é possível. Além disso, para facilitar a falcatrua, os presidenciáveis Aécio Neves e Eduardo Campos não decolaram ainda. O medo é: se tiverem apoio externo, e principalmente do sistema financeiro e do agronegócio interno, podem surgir do nada para a vitória contra o PT. Nem a aventura de um Joaquim Barbosa da vida é descartada pelos aloprados petistas.
Ainda no curtíssimo prazo, um dos maiores temores do PT, na trajetória reeleitoral, é a oposição ostensiva do Itaú-Unibanco e do Bradesco. A guerra intestina com os maiores bancos do País pode amplificar os efeitos da fuga de investimentos gerada pela perda de credibilidade do governo e pelos conhecidos problemas estruturais da economia tupiniquim: absurda carga tributária, falta de infraestrutura logística, alto custo trabalhista e insegurança jurídica.
No curto prazo, Dilma e aliados temem pelo agravamento de problemas de governança na Petrobras, Eletrobras, Caixa e Banco do Brasil – sustentáculos do capimunismo sindical que mobiliza recursos do BNDES e dos fundos de pensão para os principais negócios que os petralhas e comparsas dirigem nas sombras. A petralhada sabe que seu esquema mafioso já foi mapeado pela espionagem norte-americana que irritou – e desesperou – a Presidenta, o Presidentro Lula e os aliados.
 
Ainda no curto prazo, as obras de infraestrutura para a Copa da Fifa dificilmente ficarão prontas a tempo ou a contento. O previsível caos aéreo, a especulação de preços com a competição e a péssima prestação de serviços aos turistas vão provocar desgaste de imagem internacional para o governo Dilma. O torneio tende a ser um fracasso de público se os patrocinadores não subsidiarem a compra e distribuição dos caríssimos ingressos para os jogos. Tudo pode virar uma dor de cabeça gigante se a seleção brasileira não for a campeã. Todos se lembrarão do quanto se torrou de dinheiro fora com o torneio particular da turma de Josef Blater.
No médio prazo, outro grande medo petista: os efeitos internos previsíveis e imprevisíveis da crise econômica que prenuncia o estouro da bolha brasileira. Elaboradores de cenários macroeconômicos apostam que a bomba explode em 2015, combinando inflação, instabilidade cambial, fuga de investidores, desemprego, descontrole dos gastos públicos, juros ainda mais altos e inadimplência generalizada pelo endividamento descontrolado de empresas e das famílias.
No longo prazo, o cenário para o Brasil já é de derrota – vença ou perca o PT. O País parece caminhar na contramão do mundo que produz e se desenvolve. Até o sempre próspero agronegócio – vocação natural brasileira – se vê prejudicado, na competitividade internacional, pela falta de infraestrutura. O custo Brasil é inviável.
O mais grave é que não há indícios concretos de que o Brasil vai mudar para melhor. Fica pior com o PT no poder. Mas não há garantias de que melhore com a petralhada de fora, se algo de muito profundo não acontecer por obra e graça dos segmentos esclarecidos do povo brasileiro.
Lembrai-vos do Desastre ambiental
Pescadores, ecologistas e movimentos sociais promoverão uma lembrança pública dos 14 anos do vazamento de 1 milhão e 800 mil litros de óleo da Petrobrás na Baía de Guanabara, sem indenização financeira a milhares de pescadores artesanais impactados.
O ato público será na próxima sexta-feira, 17 de janeiro, às 10 horas, em frente à sede da empresa, na Avenida Chile, no centro do Rio de Janeiro.
Manifestantes prometem levar redes de pesca sujas de óleo, cartazes e faixas, além de peixes que serão distribuídos no local, para chamar a atenção para a impunidade em torno do que foi considerado o maior acidente ecológico do Brasil.
Pescadores alertam sobre a existência (ainda) de grande volume de óleo nas áreas de manguezais e no fundo da baía, o que tem prejudicado a reprodução do pescado e a vida marinha.
Estranho segredo
No dia 18 de janeiro de 2000, 1,8 milhão litros de óleo vazaram do duto de ligação entre a Reduc (Refinaria Duque de Caxias) e a Ilha D´Água, na Ilha do Governador.
A Petrobras foi condenada a pagar mais de R$ 1 bilhão em indenizações pelo dano ambiental.
A empresa conseguiu que o caso continue correndo em "segredo de justiça" - sob o argumento que precisa proteger a cotação de suas ações no mercado internacional.
Manifestantes pretendem perguntar onde está a tão divulgada "Política de Responsabilidade Social e Ambiental" da empresa, diante da mortandade de peixes, aves cobertas de óleo e prejuízos provocados à pesca e ao turismo na Baía.
Harley do Francisco à venda
Será dia 6 de fevereiro o leilão de uma Harley Davidson de 1.585 cilindradas, que o Papa Francisco ganhou de presente da lendária marca de motocicletas, em junho do ano passado.
Com a assinatura “Francesco” no tanque, não se sabe se chegou a ser pilotada pelo Papa.
O dinheiro do leilão vai para a Caritas Roma, entidade beneficente católica.
Tão de Brincanagem


Novas sobras de campanha


Só guardando...


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

14 de janeiro de 2014
Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

 
Já deu para perceber qual é a tática empregada pela cúpula da FIFA quando se refere, preocupada e à beira de um ataque de nervos, aos atrasos nas obras, à questão da segurança, ao temor de manifestações e, de um modo geral, ao  despreparo do país para sediar a Copa do Mundo. 
É assim: um expoente da entidade concede entrevista, na maioria das vezes no exterior, dando um puxão de orelha nas entidades oficiais responsáveis pela organização, provocando uma reação rútila nas hostes do governo petista, que, indignadas, reafirmam a crença absoluta no sucesso do torneio, enfatizando que esta será a melhor disputa de todos os tempos. 
Os entrevistados, constatando o efeito desejado, voltam atrás e, numa repentina mudança de atitude, se desculpam, invertendo o dito pelo não dito, declarando-se certos quanto ao sucesso do evento, até que novas apreensões evidenciem a necessidade de outra reprimenda fustigante pela imprensa internacional. 
E assim, aos trancos e barrancos, chegaremos à época de uma festa bancada, contrariamente às expectativas iniciais, com dinheiro público em quase sua totalidade, num país onde os presídios estão à beira da barbárie, a gestão da saúde pública é criminosa, a segurança pública se vê incapaz de garantir o direito de ir e vir do cidadão e a população das metrópoles é vilipendiada por um sistema de mobilidade indigno. 
Tudo leva a crer que neste ano que se inicia flertaremos perigosamente com o caos descontrolado.
 
14 de janeiro de 2014
Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.
 
 É impressionante!!!. O rolé ocorrido nos shoppings de São Paulo foi feito por arruaceiros. Nem ricos, nem pobres; nem negros, nem brancos; nem homens nem mulheres; nem adultos, nem menores; apenas arruaceiros.
Mas, os ideólogos de plantão, prontos a incendiar o país, elegeram que eram negros e pobres, insuflando uma luta de classes, do que outros baderneiros, e malfeitores, vão se aproveitar. Com efeito, a página do evento carioca anuncia:
“Em apoio à galera de São Paulo, contra toda forma de opressão e discriminação aos pobres e negros, em especial contra a brutal e covarde ação diária da polícia militar no Brasil, seja nos shoppings, nas praias ou nas periferias. O encontro está marcado para o próximo domingo (19) no Shopping Leblon. Até a manhã desta segunda-feira (13), 1.730 convidados haviam confirmado presença”.
Jovens são contestadores por natureza. O que é inaceitável é que adultos, ideólogos de doutrina fracassada, acirrem os ânimos, para incendiar o país. E que a OAB disponibilize ajuda jurídica a baderneiros, como ocorreu recentemente.
Ou a lei é aplicada, com rigor, ou o estado democrático de direito vai para o espaço.Nós já vimos como esse filme acaba....
Com a transferência dos mais perigosos, há vagas para baderneiros e depredadores do patrimônio público e privado nas prisões do Maranhão!!
 
14 de janeiro de 2014
Luiz Sérgio Silveira Costa é Almirante, reformado.

NOTAS POLÍTICAS DO JORNALISTA JORGE SERRÃO

Fracasso na copa, agravamento de crise econômica e tsunami de corrupção ameaçam reeleição petralha


 
A cúpula da campanha reeleitoral de Dilma Rousseff identifica algumas graves fragilidades que podem atrapalhar ou comprometer a vitória nas urnas eletrônicas: a tensão pré e pós Copa do Mundo, o estouro de um tsunami de denúncias de corrupção e os sinais de agravamento da crise econômica. Tudo pode fazer brotar, novamente, o clima de “revolta nas ruas”, com efeitos eleitorais negativos para o grande esquema PT.
No curtíssimo prazo, a petralhada teme que seja politicamente fatal o repique do Mensalão. A previsão é de que vazem novas denúncias sobre velhos casos impunes de corrupção. O mais apavorante seria o Rosegate – arrasando com Luiz Inácio Lula da Silva (que deve tentar o Senado por São Paulo). A evidente união estável do PT com a decadente família Sarney, na aliança sempre pouco confiável com o PMDB, aumenta a tensão da petralhada.
Na propaganda petralha, a vitória de Dilma está assegurada. Mas, na avaliação real dos estrategistas do PT, o risco de perder é alto. Dilma não conta com o apoio seguro da Oligarquia Financeira Transnacional – que controla os negócios com o Brasil. A fuga dos investidores é apenas um sinal da insatisfação. O investimento deles em espionagem, fabricação de dossiês que vazam na hora certa e na mobilização para manifestações públicas (como ocorreram em 2013) são evidências concretas da oposição do poder real globalitário ao PT que foi posto por eles no poder e agora tende a ser descartado facilmente.
Marketeiros da Dilma sabem que a única chance é seguir com a tática de divulgar pesquisas claramente manipuladas para sinalizar uma vitória quase impossível. A esperança deles consiste em que, na base da fraude eleitoral, com um sistema de votação totalmente eletrônico que não permite recontagem impressa de votos, tudo é possível. Além disso, para facilitar a falcatrua, os presidenciáveis Aécio Neves e Eduardo Campos não decolaram ainda. O medo é: se tiverem apoio externo, e principalmente do sistema financeiro e do agronegócio interno, podem surgir do nada para a vitória contra o PT. Nem a aventura de um Joaquim Barbosa da vida é descartada pelos aloprados petistas.
Ainda no curtíssimo prazo, um dos maiores temores do PT, na trajetória reeleitoral, é a oposição ostensiva do Itaú-Unibanco e do Bradesco. A guerra intestina com os maiores bancos do País pode amplificar os efeitos da fuga de investimentos gerada pela perda de credibilidade do governo e pelos conhecidos problemas estruturais da economia tupiniquim: absurda carga tributária, falta de infraestrutura logística, alto custo trabalhista e insegurança jurídica.
No curto prazo, Dilma e aliados temem pelo agravamento de problemas de governança na Petrobras, Eletrobras, Caixa e Banco do Brasil – sustentáculos do capimunismo sindical que mobiliza recursos do BNDES e dos fundos de pensão para os principais negócios que os petralhas e comparsas dirigem nas sombras. A petralhada sabe que seu esquema mafioso já foi mapeado pela espionagem norte-americana que irritou – e desesperou – a Presidenta, o Presidentro Lula e os aliados.
 
Ainda no curto prazo, as obras de infraestrutura para a Copa da Fifa dificilmente ficarão prontas a tempo ou a contento. O previsível caos aéreo, a especulação de preços com a competição e a péssima prestação de serviços aos turistas vão provocar desgaste de imagem internacional para o governo Dilma. O torneio tende a ser um fracasso de público se os patrocinadores não subsidiarem a compra e distribuição dos caríssimos ingressos para os jogos. Tudo pode virar uma dor de cabeça gigante se a seleção brasileira não for a campeã. Todos se lembrarão do quanto se torrou de dinheiro fora com o torneio particular da turma de Josef Blater.
No médio prazo, outro grande medo petista: os efeitos internos previsíveis e imprevisíveis da crise econômica que prenuncia o estouro da bolha brasileira. Elaboradores de cenários macroeconômicos apostam que a bomba explode em 2015, combinando inflação, instabilidade cambial, fuga de investidores, desemprego, descontrole dos gastos públicos, juros ainda mais altos e inadimplência generalizada pelo endividamento descontrolado de empresas e das famílias.
No longo prazo, o cenário para o Brasil já é de derrota – vença ou perca o PT. O País parece caminhar na contramão do mundo que produz e se desenvolve. Até o sempre próspero agronegócio – vocação natural brasileira – se vê prejudicado, na competitividade internacional, pela falta de infraestrutura. O custo Brasil é inviável.
O mais grave é que não há indícios concretos de que o Brasil vai mudar para melhor. Fica pior com o PT no poder. Mas não há garantias de que melhore com a petralhada de fora, se algo de muito profundo não acontecer por obra e graça dos segmentos esclarecidos do povo brasileiro.
Lembrai-vos do Desastre ambiental
Pescadores, ecologistas e movimentos sociais promoverão uma lembrança pública dos 14 anos do vazamento de 1 milhão e 800 mil litros de óleo da Petrobrás na Baía de Guanabara, sem indenização financeira a milhares de pescadores artesanais impactados.
O ato público será na próxima sexta-feira, 17 de janeiro, às 10 horas, em frente à sede da empresa, na Avenida Chile, no centro do Rio de Janeiro.
Manifestantes prometem levar redes de pesca sujas de óleo, cartazes e faixas, além de peixes que serão distribuídos no local, para chamar a atenção para a impunidade em torno do que foi considerado o maior acidente ecológico do Brasil.
Pescadores alertam sobre a existência (ainda) de grande volume de óleo nas áreas de manguezais e no fundo da baía, o que tem prejudicado a reprodução do pescado e a vida marinha.
Estranho segredo
No dia 18 de janeiro de 2000, 1,8 milhão litros de óleo vazaram do duto de ligação entre a Reduc (Refinaria Duque de Caxias) e a Ilha D´Água, na Ilha do Governador.
A Petrobras foi condenada a pagar mais de R$ 1 bilhão em indenizações pelo dano ambiental.
A empresa conseguiu que o caso continue correndo em "segredo de justiça" - sob o argumento que precisa proteger a cotação de suas ações no mercado internacional.
Manifestantes pretendem perguntar onde está a tão divulgada "Política de Responsabilidade Social e Ambiental" da empresa, diante da mortandade de peixes, aves cobertas de óleo e prejuízos provocados à pesca e ao turismo na Baía.
Harley do Francisco à venda
Será dia 6 de fevereiro o leilão de uma Harley Davidson de 1.585 cilindradas, que o Papa Francisco ganhou de presente da lendária marca de motocicletas, em junho do ano passado.
Com a assinatura “Francesco” no tanque, não se sabe se chegou a ser pilotada pelo Papa.
O dinheiro do leilão vai para a Caritas Roma, entidade beneficente católica.
Tão de Brincanagem


Novas sobras de campanha


Só guardando...


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

14 de janeiro de 2014
Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

TÁTICA DA FIFA



 
Já deu para perceber qual é a tática empregada pela cúpula da FIFA quando se refere, preocupada e à beira de um ataque de nervos, aos atrasos nas obras, à questão da segurança, ao temor de manifestações e, de um modo geral, ao  despreparo do país para sediar a Copa do Mundo. 
É assim: um expoente da entidade concede entrevista, na maioria das vezes no exterior, dando um puxão de orelha nas entidades oficiais responsáveis pela organização, provocando uma reação rútila nas hostes do governo petista, que, indignadas, reafirmam a crença absoluta no sucesso do torneio, enfatizando que esta será a melhor disputa de todos os tempos. 
Os entrevistados, constatando o efeito desejado, voltam atrás e, numa repentina mudança de atitude, se desculpam, invertendo o dito pelo não dito, declarando-se certos quanto ao sucesso do evento, até que novas apreensões evidenciem a necessidade de outra reprimenda fustigante pela imprensa internacional. 
E assim, aos trancos e barrancos, chegaremos à época de uma festa bancada, contrariamente às expectativas iniciais, com dinheiro público em quase sua totalidade, num país onde os presídios estão à beira da barbárie, a gestão da saúde pública é criminosa, a segurança pública se vê incapaz de garantir o direito de ir e vir do cidadão e a população das metrópoles é vilipendiada por um sistema de mobilidade indigno. 
Tudo leva a crer que neste ano que se inicia flertaremos perigosamente com o caos descontrolado.
 
14 de janeiro de 2014
Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

"ROLEZINHOS" ATENTAM CONTRA OS DIREITOS COLETIVOS



 
Por mais que nos solidarizemos com nossa juventude humilde que busca espaços para se relacionar e dar vazão ao seu amor e alegria, não é possível apoiá-la nessa onda recente de "rolezinhos" marcados em shoppings centers e outros locais privados com destinação específica.
É triste a ausência de opção de lazer para nossos jovens de camadas mais pobres. No entanto, os "rolezinhos", tal como vêm sendo marcados, atentam contra os direitos individuais e coletivos assegurados pela Constituição Federal.
Isso sem falar no direito também constitucionalmente garantido à propriedade e à livre iniciativa (arts. 1º, inc. IV, 5º, "caput" e 170). Daí porque estão corretas as liminares concedidas pelo Judiciário aos shoppings –que estabeleceram multa aos participantes.
Os shoppings são empreendimentos privados abertos ao público especificamente para compras, lazer, diversão, passeio.
A maioria deles tem cinemas e praças de alimentação. Nenhum deles tem ainda uma "praça do rolezinho", modalidade de diversão muitas vezes conturbada por jovens infratores, ferindo o legítimo direito de pais, mães e filhos a um lazer sossegado e seguro que vão buscar nesses ambientes privados e protegidos.
Se o poder público não disponibiliza, como deveria, espaços próprios para o saudável congraçamento e encontro entre jovens, nem por isso os brilhantes moços que os organizam deixam de ter alternativas interessantes.
E todas elas são protegidas pela Constituição.
 
AVISO
O inc. XVI do art. 5º garante que "todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização", bastando "prévio aviso à autoridade".
Ora, porque não fazer uns "rolezinhos" no sambódromo ou outros locais públicos? Os convocados pela internet não vão faltar. Meninos e meninas levam o som, comidinhas e bebidinhas (sem álcool de preferência senão tumultua e nem namoro acontece). Aí a festa "rola" de forma "legal", no duplo sentido.
Juridicamente, basta os organizadores enviarem cópia da convocação à prefeitura e à Secretaria de Segurança.
Mauro Rodrigues Penteado é Advogado, árbitro e professor de direito comercial da USP. Originalmente publicado na Folha de S. Paulo de 14 de Janeiro de 2014.

LIMINAR QUE PROÍBE "ROLEZINHO" ASSEGURA "DIREITO A SEGREGAÇÃO"



 
São raríssimos os casos em que a decisão do juiz não deve analisar com cuidado dois direitos distintos.
Por isso é tão difícil a tarefa de julgar. A lei provoca contradições entre direitos. Quase sempre.
O caso dos "rolezinhos" não foi diferente. Um juiz concedeu uma liminar afirmando que se os jovens da periferia levassem adiante sua intenção de comparecer em conjunto a shopping centers para realizar a prática do já famoso "rolezinho", seriam multados em R$ 10 mil.
O próprio juiz admitiu que havia um conflito de direitos. O direito de manifestação dos jovens da periferia e o de propriedade dos donos do shopping. O juiz diz que o direito de propriedade deve prevalecer porque há outros espaços mais apropriados para manifestações.
Essa resposta do juiz veio em uma liminar. O que significa que apenas um lado foi ouvido: o lado dos donos de shopping. E só isso pode explicar o fato de se imaginar que o "rolezinho" pode ser feito nas ruas.
O que pedem os "rolezinhos"? Sem danificar o patrimônio e sem registros de furtos, jovens da periferia querem circular por espaços que lhe são proibidos. Espaços segregados. Segregados, até agora, não pela força do direito, mas porque não há nada ali que lhes seja acessível.
O grande problema da decisão é que ela assegura um direito à segregação.
Shoppings são espaços de livre circulação. Impedir a entrada de alguém em estabelecimento comercial por motivo de discriminação ou preconceito é crime.
Admitir que só algumas pessoas podem circular por lá, com policiais e oficiais de Justiça analisando quem pode ou não entrar, oficializa a discriminação.
Na verdade, não se trata apenas do conflito entre direito de propriedade e de manifestação. Trata-se de uma nova agenda de desigualdade que não se encerra em programas de transferência de renda, mas com questão de como se cria um país de convivência e não de segregação.
Esses jovens querem ser ouvidos, ser vistos –aliás, não apenas os jovens da periferia vão ao shopping para serem vistos. E eles não estão sendo escutados. Tapar os ouvidos não ajuda a solucionar o problema, ao contrário, tende a criar novos.
 
Pedro Abramovay é professor licenciado da FGV Direito Rio e diretor para a América Latina da Open Society Foundations. Originalmente publicado na Folha de S. Paulo de 14 de Janeiro de 2014.

IDEOLOGIA E MORALIDADE



Há momentos na história em que o espírito de uma nação – mais especificamente de sua classe letrada – se revela por inteiro.
É o que ocorre no episódio do Mensalão. Inicialmente, não se esperava que dele nada resultasse, o que, por si só, já revela algo de substantivo a respeito de nossa cultura.
Dentro dela, não é comum – para não dizer que é inédito - que pessoas influentes paguem por seus crimes. A maioria da opinião pública, pois, estava cética em relação ao destino dos mensaleiros. Seriam inocentados e, em breve, estariam de volta.
Deu-se, porém, o contrário: foram presos. Na reação à prisão, sustentada por amplos setores da intelectualidade e do meio artístico, tem-se um retrato da moralidade do país.
A hostilidade nas redes sociais e nos jornais a Joaquim Barbosa deixa claro que, acima da moral, está a ideologia. Ou por outra, sem ideologia - de esquerda, claro - não há moral.
"Aos amigos, tudo; aos inimigos, os rigores da lei", sustentava Getúlio Vargas. A solidariedade a José Genoíno, em face de sua enfermidade, não se estendeu a outro condenado, mais enfermo que ele, Roberto Jefferson, que padece de um câncer irreversível.
 
Está mais enfermo, mas não é da turma. Não merece compaixão. Criou-se, no Mensalão, a figura esdrúxula do delito ideológico. O roubo de esquerda é legítimo; o de direita, não.
Tal distorção já vigora há tempos em relação aos direitos humanos: um preso político em Cuba merece o que recebe; num regime militar de direita, não.
Um torturado sob Pinochet mobiliza inúmeras comissões de direitos humanos; um sob Fidel Castro provoca silêncio e compreensão.
A Comissão da Verdade investiga crimes de meio século atrás, mas só os cometidos contra a esquerda. Só eles merecem o rótulo de abomináveis. Os que ela cometeu – e cometeu diversos, devidamente comprovados – passam como fatalidades.
E é esse mesmo pessoal – que conta a História pelo viés ideológico - que acusa o Supremo Tribunal Federal de ter feito julgamento político no Mensalão.
O processo levou sete anos para chegar ao plenário. Os autos formavam montanhas de papel, mais de 50 mil páginas. Só a leitura do relatório consumiu dois dias.
Cada acusado teve sua devida defesa - e até embargos infringentes, não previstos na lei, foram aceitos. Não houve qualquer cerceamento ao devido processo legal.
Mais da metade dos ministros, inclusive o relator, foi nomeada na gestão do PT. Se tentativa houve de politizar o julgamento, foi da parte favorável aos mensaleiros, com manobras protelatórias, que resultaram inúteis.
Na execução da pena, os sentenciados exibiram de público o seu injustificado protesto, brandindo punhos cerrados, com críticas ferozes ao Judiciário. Reclamaram das condições carcerárias, mesmo já tendo o governador de Brasília, Agnelo Queiroz, providenciado com antecedência a construção de anexos mais confortáveis para receber os companheiros.
O governador, num gesto inédito – já que é um agente do Estado e os sentenciados delinquiram contra o Estado -, deu-se ao desplante de visitá-los na prisão, ao lado de parlamentares, furando a fila de familiares de outros presos, que aguardavam desde a madrugada autorização para ingressar no presídio.
A OAB, ausente durante todo o julgamento, só se manifestou para endossar as críticas dos mensaleiros e reclamar da suposta severidade do presidente do STF. Presos comuns – como os de Pedrinha, no Maranhão – não causam qualquer consternação, nem à OAB, nem aos grupos de direitos humanos.
Não têm grife ideológica. São vítimas contemporâneas, que vivem em regime de terror. Podem ter suas aflições interrompidas já, mediante intervenção desses grupos que se proclamam humanitários, mas, à exceção de vozes isoladas e impotentes, não sensibilizam os ativistas dos direitos humanos ideológicos.
Não faltam vozes, à esquerda, reclamando do moralismo que condenou os mensaleiros. Mas essas mesmas vozes fizeram carreira política com discursos moralistas, frequentemente falsos.
O já falecido senador Humberto Lucena foi cassado por imprimir um calendário na gráfica do Senado. O deputado Ibsen Pinheiro foi cassado graças a um falso extrato bancário, que o mostrava milionário. O extrato foi entregue por José Dirceu à redação de uma revista semanal, que o publicou como verdadeiro. Dez anos depois, desfez-se a farsa, mas já era tarde.
O ex-ministro Eduardo Jorge, do PSDB, foi execrado publicamente como corrupto numa manobra do PT com um procurador da República, Luiz Francisco de Souza, que saiu de cena depois que o partido assumiu a Presidência da República.
O PT hoje prova do veneno que serviu à política brasileira. Nos 23 anos que precederam sua chegada ao poder, pôs em cena a famosa recomendação de Lênin aos militantes comunistas: "Acuse-os do que você faz".
O tiro um dia sairia pela culatra. Saiu.
 
14 de janeiro de 2014
Ruy Fabiano é jornalista.

PT QUE ADORA OFF-SHORES DEVIA MANEIRAR NOS ATAQUES A TUMA JR.


 
Hora da verdade – A tropa de choque do PT tenta, sem sucesso, desqualificar o livro do delegado Romeu Tuma Júnior e do jornalista Claudio Julio Tognolli, mas, como noticiou o ucho.info na edição de segunda-feira (9), o depoimento do doleiro Antônio de Oliveira Claramunt, oToninho da Barcelona, à CPI dos Correios, em 2005, ajuda a compreender o imbróglio das contas bancárias de petistas em paraísos fiscais.
O dinheiro que passou por essas contas e também era trocado em casas de câmbio tinha como origem a cobrança de propinas em cidades administradas pelo PT: Santo André, Campinas, Ribeirão Preto, São Paulo, Recife e Porto Alegre. O volume de recursos ilegais cresceu a partir de 2003 com operações nada ortodoxas nos fundos de pensão vinculados às estatais. A dinheirama sem procedência era esquentada com notas fiscais frias de empresas ligadas aos doleiros.
As notas serviam para as empresas que pagavam propina ao PT justificarem “legalmente” a saída do montante. Sempre arrecadado em espécie, o dinheiro era depositado por Delúbio Soares, então tesoureiro do PT, em contas bancárias abertas em nome de laranjas, sempre vinculados aos doleiros que participavam do esquema. Na sequência os doleiros providenciavam ordens de pagamento no exterior. Para atender a volúpia bandoleira do grupo, os doleiros criaram um caminho só para a legenda. Duas empresas off-shore – Lisco Overseas e Miro Ltd. – eram usadas para enviar dinheiro para contas numeradas nos bancos JP Morgan e Citibank, em Nova York.
O passo seguinte era transferir o valor da transação para uma conta corrente em nome off-shore Naston Incorporation Ltd., com sede nas Ilhas Virgens Britânicas e que era controlada por dois doleiros: Claramunt (Toninho da Barcelona) e Alberto Youssef, o Beto, que durante anos operou para o xeique do Mensalão do PT, o finado deputado José Janene.
Da Naston, off-shore dos doleiros Claramunt e Youssef, os dólares ilegais do partido moralista seguiam para duas contas numeradas (60.356356086 e 60.356356199) do Trade Link Bank, instituição financeira internacional do agora liquidado Banco Rural no paraíso fiscal das Ilhas Cayman. De acordo com o doleiro Toninho da Barcelona, as duas contas eram gerenciadas por “duas distintas pessoas”: Felipe Belizario Wermusdit, de passaporte francês, e Felipe Belizario Wermus, de passaporte argentino. Ambas são Luis Favre, ex-marido de Marta Suplicy.
A conta operada pelo Belizario francês enviava dólares para o Trade Link Bank, enquanto a gerenciada pelo Belizario argentino enviava dinheiro para a conta Empire State Scorpus, no paraíso fiscal de Luxemburgo. A conta Empire State tinha uma subconta no Panamá, que passava pela offshore OBCH Ltda, cuja administração foi creditada a um cubano naturalizado panamenho de nome Aníbal Contreras, amigo do agora presidiário José Dirceu de Oliveira e Silva. Coincidência ou não, a empresa off-shore controladora do Hotel St. Peter, em Brasília, que ofereceu a José Dirceu um emprego de gerente administrativo com salário mensal de R$ 20 mil, tinha até a última semana um humilde panamenho como presidente.
De acordo com Barcelona, o PT trocava em média US$ 50 mil cada vez. As transações eram realizadas no gabinete do petista Devanir Ribeiro, à época vereador e homem de confiança de Lula. (amigo de Lula dos tempos do ABC, hoje deputado federal e autor da tese do terceiro mandato) e integram outro braço do esquema petista.
O doleiro afirmou que o partido mantinha, em espécie, grande quantidade de dólares, normalmente guardados em malas e cofres, e que eram trocados por reais de acordo com a necessidade. No início de 2002, declarou Barcelona, as trocas de dólares por reais eram esporádicas e aconteciam a cada duas semanas. Na metade do mesmo ano, as trocas de dólares alcançaram um ritmo acelerado. Tornaram-se diárias e chegavam a totalizar R$ 500 mil por semana.
Apesar de todo esse emaranhando de provas, que só não empurraram as investigações porque suspeita-se que Barcelona tenha feito um acordo com o PT, a tropa de choque do partido insiste em desqualificar o livro de Tuma e Tognolli, como se não existissem documentos capazes de mandar mais uma dúzia de “companheiros” para atrás das grades.
O PT costuma detonar aliados sem se preocupar com as consequências. Tuma resolveu abrir o baú e revelar o que sabe. A brincadeira está apenas começando e há detalhes não revelados que podem comprometer ainda mais a situação do partido que chegou ao Palácio do Planalto na esteira do discurso da moralidade, da ética e do combate à corrupção. Mas só discurso, como já sabem os brasileiros.
 
14 de janeiro de 2014
Ucho Haddad é Jornalista. Editor do Ucho.info

terça-feira, 20 de agosto de 2013

MICROONDAS, ETA MAQUININHA BANDIDA

Você não precisa acreditar no que está lendo. Entretanto, pode perfeitamente fazer esta experiência de nove dias em casa e ver o resultado com seus próprios olhos. Abaixo está um simples projeto de ciências. Água filtrada, dividida em duas partes.
A primeira parte foi fervida no forno, e a segunda parte foi fervida no microondas. Logo, depois de esfriar, a água foi usada em duas plantas idênticas para ver se havia alguma diferença no crescimento entre a água fervida normalmente e a água fervida no micro-ondas.


microondas

Acreditava-se que a estrutura ou a energia da água não pode ser afetada pelo microondas. Quando se viu o resultado, uma grande diferença. Água de Microondas, vejam o que ela faz às Plantas, na página 2, clicando no Saiba Mais.

 Sabia-se há anos que o problema do microondas não á a radiação, com o que as pessoas se preocupam, mas sim como este corrompe o DNA da comida e então o corpo não o reconhece.

O corpo envolve o alimento dentro de células de gordura para proteger-se de comida mortal ou elimina-a rapidamente. Pensem em todas as mães aquecendo o leite nesses aparelhos “Seguros”. E a enfermeira do Canadá? Aqueceu um pouco o sangue para um paciente que necessitava de uma transfusão e matou-o acidentalmente quando o sangue morreu.
E no entanto os fabricantes dizem que é seguro de usar. Não importa, continuem a usá-lo. Pergunte ao seu médico e provavelmente ele lhe dirá que é seguro também.As provas estão nas plantas que morrem. Recordem que elas também são seres vivos.

Dez Razões para Desfazer-se do seu forno Microondas, obtidas das conclusões de estudos clínicos de cientistas Suíços, Russos e Alemães. Não podemos continuar ignorando o forno de microondas nas nossas cozinhas. Baseados nesta investigação, concluiremos este artigo com o seguinte:

 1). Comer continuamente comida processada num forno de microondas causa dano cerebral permanente a longo prazo devido a “curtos circuitos” nos impulsos elétricos do cérebro [despolarização ou desmagnetização do tecido cerebral]

 2). O corpo humano não pode metabolizar [ou romper] os produtos desconhecidos (pelo corpo) criados na comida aquecida no microondas.

 3). A produção de hormônios masculinos e femininos é cortada e/ou alterada em resultado de comer continuamente alimentos de microondas.

 4). Os efeitos da comida de microondas são residuais [permanentes e de longo prazo] dentro do corpo humano.

 5). Os Minerais, Vitaminas e Nutrientes de toda a comida de microondas são reduzidos ou alterados e por conseqüência o corpo humano obtém pouco ou nulo benefício, ou o corpo humano absorve compostos alterados que não podem romper-se para a sua adequada absorção.

 6). Os minerais nos vegetais são alterados e convertem-se em radicais livres cancerígenos quando são aquecidos em fornos de microondas.

 7). Os alimentos do microondas causam crescimento de tumores cancerígenos no estômago e intestino. Isto pode explicar os cada vez mais frequentes casos de câncer no cólon nos EUA e outros países.

 8). O consumo prolongado de alimentos aquecidos no microondas causa o aumento de células cancerosas no  sangue humano.

 9). A ingestão contínua de comida de microondas causa deficiências no sistema imunológico por alterações causadas na glândula linfática e no plasma sanguíneo.

 10). O consumo de comida de microondas causa perda de memória, perda de concentração, instabilidade emocional e decréscimo da inteligência.

Um forno convencional é melhor, porque cozinha mais rápido e cozinha muito bem. Os fornos convencionais são baratos e têm um ventilador que distribui o calor de forma mais uniforme. Quase tão rápido como o microondas e muito mais saudável!

ATT00043ATT00049
ATT00052ATT00055

20 de agosto de 2013
Lívia Dornelles
 

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

DEZ MANDAMENTOS

EU, HUMILDE DIVULGADOR


Escreve um leitor:

“Bom dia Janer! sou cristão Adventista do 7° Dia, leio todas as suas postagens e tu me diverte muito, sério mesmo. Interessante que de 10 postagens, acho que 8 são quebrando o pau em Deus. Esse tal Deus te incomoda né?!”

 


Ora, quem sou eu, pobre mortal, para quebrar o pau com o Eterno? Tenho procurado, isto sim, divulgar suas divinas palavras, tão esquecidas nestes dias que correm:

Êxodo 23:23 - Porque o meu anjo irá adiante de ti, e te introduzirá na terra dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus; e eu os aniquilarei. (...) Enviarei o meu terror adiante de ti, pondo em confusão todo povo em cujas terras entrares, e farei que todos os teus inimigos te voltem as costas. Também enviarei na tua frente vespas, que expulsarão de diante de ti os heveus, os cananeus e os heteus.

Êxodo 34:12 - Guarda-te de fazeres pacto com os habitantes da terra em que hás de entrar, para que isso não seja por laço no meio de ti. Mas os seus altares derrubareis, e as suas colunas quebrareis, e os seus aserins cortareis (porque não adorarás a nenhum outro deus; pois o Senhor, cujo nome é Zeloso, é Deus zeloso).

Números 33:51 - Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: quando houverdes passado o Jordão para a terra de Canaã, lançareis fora todos os habitantes da terra de diante de vós, e destruíreis todas as suas pedras em que há figuras; também destruíreis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos.

Levítico, 26:29 - E comereis a carne de vossos filhos e a carne de vossas filhas. Destruirei os vossos altos lugares, derrubarei as vossas imagens do sol, e lançarei os vossos cadáveres sobre os destroços dos vossos ídolos; e a minha alma vos abominará. Reduzirei as vossas cidades a deserto, e assolarei os vossos santuários, e não cheirarei o vosso cheiro suave. Assolarei a terra, e sobre ela pasmarão os vossos inimigos que nela habitam. Espalhar-vos-ei por entre as nações e, desembainhando a espada, vos perseguirei; a vossa terra será assolada, e as vossas cidades se tornarão em deserto.

Números 31:7 - E pelejaram contra Midiã, como o senhor ordenara a Moisés; e mataram a todos os homens. Com eles mataram também os reis de Midiã, a saber, Evi, Requem, Zur, Hur e Reba, cinco reis de Midiã; igualmente mataram à espada a Balaão, filho de Beor. Também os filhos de Israel levaram presas as mulheres dos midianitas e os seus pequeninos; e despojaram-nos de todo o seu gado, e de todos os seus rebanhos, enfim, de todos os seus bens; queimaram a fogo todas as cidades em que eles habitavam e todos os seus acampamentos; tomaram todo o despojo e toda a presa, tanto de homens como de animais; e trouxeram os cativos e a presa e o despojo a Moisés, a Eleazar, o sacerdote, e à congregação dos filhos de Israel, ao arraial, nas planícies de Moabe, que estão junto do Jordão, na altura de Jericó. Saíram, pois, Moisés e Eleazar, o sacerdote, e todos os príncipes da congregação, ao encontro deles fora do arraial. E indignou-se Moisés contra os oficiais do exército, chefes dos milhares e chefes das centenas, que vinham do serviço da guerra, e lhes disse: Deixastes viver todas as mulheres? Eis que estas foram as que, por conselho de Balaão, fizeram que os filhos de Israel pecassem contra o Senhor no caso de Peor, pelo que houve a praga entre a congregação do Senhor. Agora, pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele. Mas todas as meninas, que não conheceram homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.

Números 31:25 - Disse mais o Senhor a Moisés: Faze a soma da presa que foi tomada, tanto de homens como de animais, tu e Eleazar, o sacerdote, e os cabeças das casas paternas da congregação; e divide-a em duas partes iguais, entre os que, hábeis na guerra, saíram à peleja, e toda a congregação. E tomarás para o Senhor um tributo dos homens de guerra, que saíram à peleja; um em quinhentos, assim dos homens, como dos bois, dos jumentos e dos rebanhos; da sua metade o tomareis, e o dareis a Eleazar, o sacerdote, para a oferta alçada do Senhor. Mas da metade que pertence aos filhos de Israel tomarás um de cada cinqüenta, tanto dos homens, como dos bois, dos jumentos, dos rebanhos, enfim, de todos os animais, e os darás aos levitas, que estão encarregados do serviço do tabernáculo do Senhor. Fizeram, pois, Moisés e Eleazar, o sacerdote, como o Senhor ordenara a Moisés. Ora, a presa, o restante do despojo que os homens de guerra tomaram, foi de seiscentas e setenta e cinco mil ovelhas, setenta e dois mil bois,e sessenta e um mil jumentos;e trinta e duas mil pessoas, ao todo, do sexo feminino, que ainda se conservavam virgens.

Deuteronômio 7:5 - Mas assim lhes fareis: Derrubareis os seus altares, quebrareis as suas colunas, cortareis os seus aserins, e queimareis a fogo as suas imagens esculpidas. Porque tu és povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, a fim de lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a terra.

Deuteronômio 12:1 - São estes os estatutos e os preceitos que tereis cuidado em observar na terra que o Senhor Deus de vossos pais vos deu para a possuirdes por todos os dias que viverdes sobre a terra. Certamente destruíreis todos os lugares em que as nações que haveis de subjugar serviram aos seus deuses, sobre as altas montanhas, sobre os outeiros, e debaixo de toda árvore frondosa; e derrubareis os seus altares, quebrareis as suas colunas, queimareis a fogo os seus aserins, abatereis as imagens esculpidas dos seus deuses e apagareis o seu nome daquele lugar.

Deuteronômio 32:19 - Vendo isto, o Senhor os desprezou, por causa da provocação que lhe fizeram seus filhos e suas filhas;(...) Males amontoarei sobre eles, esgotarei contra eles as minhas setas. Consumidos serão de fome, devorados de raios e de amarga destruição; e contra eles enviarei dentes de feras, juntamente com o veneno dos que se arrastam no pó. Por fora devastará a espada, e por dentro o pavor, tanto ao mancebo como à virgem, assim à criança de peito como ao homem encanecido.

Josué 6:20 - Gritou, pois, o povo, e os sacerdotes tocaram as trombetas; ouvindo o povo o sonido da trombeta, deu um grande brado, e o muro caiu rente com o chão, e o povo subiu à cidade, cada qual para o lugar que lhe ficava defronte, e tomaram a cidade. E destruíram totalmente, ao fio da espada, tudo quanto havia na cidade, homem e mulher, menino e velho, bois, ovelhas e jumentos.

Juízes 21:10 - Pelo que a congregação enviou para lá doze mil homens dos mais valorosos e lhes ordenou, dizendo: Ide, e passai ao fio da espada os habitantes de Jabes-Gileade, juntamente com as mulheres e os pequeninos. Mas isto é o que haveis de fazer: A todo homem e a toda mulher que tiver conhecido homem, totalmente destruireis. E acharam entre os moradores de Jabes-Gileade quatrocentas moças virgens, que não tinham conhecido homem, e as trouxeram ao arraial em Siló, que está na terra de Canaã.

I Reis 18:22 - Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei dos profetas do Senhor; mas os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens. (...) Disse-lhes Elias: Agarrai os profetas de Baal! que nenhum deles escape: Agarraram-nos; e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, onde os matou.

II Crônicas 14:12 - E o Senhor desbaratou os etíopes diante de Asa e diante de Judá; e os etíopes fugiram. Asa e o povo que estava com ele os perseguiram até Gerar; e caíram tantos dos etíopes que já não havia neles resistência alguma; porque foram quebrantados diante do Senhor, e diante do seu exército. Os homens de Judá levaram dali mui grande despojo. Feriram todas as cidades nos arredores de Gerar, porque veio sobre elas o terror da parte do Senhor; e saquearam todas as cidades, pois havia nelas muito despojo. Também feriram as malhadas do gado, e levaram ovelhas em abundância, e camelos, e voltaram para Jerusalém.

Esdras 9:1 - Ora, logo que essas coisas foram terminadas, vieram ter comigo os príncipes, dizendo: O povo de Israel, e os sacerdotes, e os levitas, não se têm separado dos povos destas terras, das abominações dos cananeus, dos heteus, dos perizeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moabitas, dos epípcios e dos amorreus; pois tomaram das suas filhas para si e para seus filhos; de maneira que a raça santa se tem misturado com os povos de outras terras; e até os oficiais e magistrados foram os primeiros nesta transgressão.

Ezequiel 6:4 - E serão assolados os vossos altares, e quebrados os vossos altares de incenso; e arrojarei os vossos mortos diante dos vossos ídolos. E porei os cadáveres dos filhos de Israel diante dos seus ídolos, e espalharei os vossos ossos em redor dos vossos altares. (...) Em todos os vossos lugares habitáveis as cidades serão destruídas, e os altos assolados; para que os vossos altares sejam destruídos e assolados, e os vossos ídolos se quebrem e sejam destruídos, e os altares de incenso sejam cortados, e desfeitas as vossas obras.

Ezequiel 6:13 - Então sabereis que eu sou o Senhor, quando os seus mortos estiverem estendidos no meio dos seus ídolos, em redor dos seus altares, em todo outeiro alto, em todos os cumes dos montes, e debaixo de toda árvore verde, e debaixo de todo carvalho frondoso, lugares onde ofereciam suave cheiro a todos os seus ídolos. E estenderei a minha mão sobre eles, e farei a terra desolada e erma, em todas as suas habitações; desde o deserto até Dibla; e saberão que eu sou o Senhor.

Ezequiel 9:4 - E disse-lhe o Senhor: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal as testas dos homens que suspiram e que gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela. E aos outros disse ele, ouvindo eu: Passai pela cidade após ele, e feri; não poupe o vosso olho, nem vos compadeçais. Matai velhos, mancebos e virgens, criancinhas e mulheres, até exterminá-los; mas não vos chegueis a qualquer sobre quem estiver o sinal; e começai pelo meu santuário. Então começaram pelos anciãos que estavam diante da casa. E disse-lhes: Profanai a casa, e enchei os átrios de mortos; saí. E saíram, e feriram na cidade.

Ezequiel, 30:13 - Também destruirei os ídolos, e farei cessar de Mênfis as imagens; e não mais haverá um príncipe na terra do Egito; e porei o temor na terra do Egito. E assolarei a Patros, e porei fogo a Zoã, e executarei juízos em Tebas; e derramarei o meu furor sobre Pelúsio, a fortaleza do Egito, e exterminarei a multidão de Tebas; também atearei um fogo no Egito; Pelúsio terá angústia, Tebas será destruída, e Mênfis terá adversários em pleno dia. Os mancebos de Om e Pi-Besete cairão à espada, e estas cidades irão ao cativeiro. E em Tapanes se escurecerá o dia, quando eu quebrar ali os jugos do Egito, e nela cessar a soberba do seu poder; quanto a ela, uma nuvem a cobrirá, e suas filhas irão ao cativeiro. Assim executarei juízos no Egito, e saberão que eu sou o Senhor.

Salmos, 137:8 - Ah! filha de Babilônia, devastadora; feliz aquele que te retribuir consoante nos fizeste a nós; feliz aquele que pegar em teus pequeninos e der com eles nas pedras.


19 de agosto de 2013
janer cristaldo